THE USE OF THERMOGRAPHY AND ITS CONTROL VARIABLES: A SYSTEMATIC REVIEW

AUTOR(ES)
FONTE

Rev Bras Med Esporte

DATA DE PUBLICAÇÃO

13/01/2020

RESUMO

RESUMO Introdução: As lesões musculares são a causa mais frequente de incapacidade física nos esportes, representando uma grande porcentagem de todas as lesões esportivas. Principalmente nos esportes de alto desempenho, há um grande interesse em otimizar o processo de diagnóstico e reabilitação das lesões musculares, a fim de reduzir o período perdido pelos atletas devido às lesões. A termografia infravermelha ou termometria cutânea é uma técnica utilizada para investigação complementar da dor. Ela apresenta imagens térmicas com uma câmera infravermelho para medira temperatura da superfície do corpo. Objetivo: Realizar uma revisão sistemática sobre o uso da termografia como uma avaliação funcional para a identificação e prevenção de lesões musculares e das variáveis de controle utilizadas em sua aplicabilidade. Métodos: Foi realizada uma revisão sistemática nas bases de dados MEDLINE, ResearchGate e Scielo utilizando os seguintes termos: “thermography”, “muscle injury”, “rehabilitation” e “diagnosis”, com busca nos artigos publicados no período compreendido entre 2000 e 2017, nos idiomas português, inglês e espanhol. Os critérios de elegibilidade para os estudos era a utilização da termografia como um desfecho e o registro dos parâmetros para avaliação da variação da temperatura da pele nos atletas. Resultados: Após a revisão sistemática, 94 estudos foram encontrados, sendo que desses apenas 12 atenderam aos critérios para inclusão no estudo. Conclusão: A termografia é uma ferramenta adequada para avaliação e prevenção de lesões musculares em atletas e devem-se considerar as variáveis de controle durante o seu uso. As variáveis mais eficientes para captura da imagem termográfica parece ser um ambiente com temperatura entre 18 e 25°C, por 15 minutos para aclimatação e com o indivíduo disposto em uma posição pré-determinada, dependendo do segmento corporal a ser avaliado, sem contato com outro objeto. Nível de evidência I; Revisão sistemática.ABSTRACT Introduction: Muscle injuries are the most frequent cause of physical disability in sports, representing a large percentage of all sports injuries. In high-performance sports in particular, there is great interest in optimizing the process of diagnosis and rehabilitation of muscle injuries in order to reduce the amount of time taken off by athletes due to their injuries. Infrared thermography, or cutaneous thermometry, is a technique used for complementary investigation of pain. It provides thermal imaging with an infrared camera, to measure the surface temperature of the body. Objective: To conduct a systematic review of the use of thermography as a functional evaluation for the identification and prevention of muscle injuries, and of the control variables used in its applicability. Methods: A systematic review was conducted in the MEDLINE, ResearchGate and Scielo databases, using the search terms: “thermography”, “muscle injury”, “rehabilitation” and “diagnosis”, searching on articles published from 2000 to 2017, in Portuguese, English and Spanish. The eligibility criteria for the studies was the use of thermography as an outcome, and the reporting of standards for evaluating skin temperature variation in athletes. Results: Following the systematic review, 94 studies were retrieved. Of these, only 12 met the criteria for inclusion in the study. Conclusion: Thermography is a suitable tool for the evaluation and prevention of muscle injuries in athletes, and care should be taken with the control variables during its use. The most efficient variables for capturing the thermographic image appear to be an environment with a temperature of between 18 and 25°C, for 15 minutes for acclimatization, and with the individual placed in a pre-determined position, depending on the body segment being evaluated, without contact with another object. Level of evidence I; Systematic review.

Documentos Relacionados