Produtividade e qualidade de frutos de cultivares de pepino para processamento no Vale do São Francisco. I. Classificação "conserva".

Autor Principal: RESENDE, G.M. de
Outros Autores: FLORI, J.E.
Tipo: Artigo em anais de congresso
Idioma: Português
Publicado em: CONGRESSO BRASILEIRO DE OLERICULTURA 2011
Assuntos:
Link Texto Completo: http://www.alice.cnptia.embrapa.br/handle/doc/128134
Saved in:
Com o objetivo de identificar as cultivares mais produtivas de pepino para processamento, instalou-se um experimento no período de maio a agosto de 1997, no Campo Experimental de Bebedouro/Petrolina (PE).

O delineamento experimental utilizado foi blocos ao acaso, com 18 cultivares (Calypso, Eureka, Flurry, Francipak, Ginga AG-77, Imperial, Nautillus, Navigator, Panorama, Pioneiro, Premier, Prêmio, Primepak, Wisconsin SMR 18, Supremo, Vlaspik, Vlasset e Vlasstar) e três repetições.

A parcela experimental foi composta de quatro linhas de 3,0 m de comprimento, com espaçamento de 1,0 x 0,30 m.

Os frutos comerciais foram classificados em Tipo 1: frutos com 6 a 9 cm de comprimento e Tipo 2: frutos com 9 a 12 cm de comprimento.

As cultivares Eureka (34,54 t/ha) e Francipak (33,72 t/ha) destacaram-se com produtividades mais elevadas, seguidas das cultivares Vlasset, Calypso, Flurry, Primepak, Ginga AG-77, Panorama e Supremo com produtividades acima de 28,0 t/ha.

A cultivares Pioneiro, Wisconsin SMR 18 e Vlaspik apresentaram os menores desempenhos, com produtividades variando de 21,43 a 23,45 t/ha.

Verificou-se uma variação de 30,74 a 37, 79g/fruto, para médio de frutos, e 9,01 a 14,81 frutos/planta para número de frutos por planta.