Manejo da poda da videira Chardonnay em região de altitude no Sudeste Brasileiro

Autor Principal: Mendonça, Tania dos ReisMota, Renata Vieira daSouza, Claudia Rita deDias, Frederico Alcântara NovelliPimentel, Rodrigo Meireles de AzevedoRegina, Murillo de Albuquerque
Tipo:
Idioma: enpt
Publicado em: BragantiaBragantia
Assuntos:
Link Texto Completo: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&lang=pt&pid=S0006-87052016000100057
Saved in:
ABSTRACT O comportamento agronômico da videira Chardonnay, indicada para a produção de vinhos espumantes, está relacionado ao manejo do vinhedo e às condições edafoclimáticas da região de cultivo.

O objetivo deste trabalho foi avaliar dois tipos de poda (Cordão Royat e Guyot Duplo) no desenvolvimento vegetativo e produtivo da videira Chardonnay, em região de elevada altitude no Sudeste Brasileiro.

Foi utilizado o clone 96 da cultivar Chardonnay, enxertado sobre o porta-enxerto 1103 Paulsen, e sustentado em espaldeira, em um vinhedo comercial localizado a 1.280 m de altitude em Divinolândia (SP).

Durante os ciclos de produção de 2014 e 2015, foram avaliados vigor vegetativo, fertilidade de gemas, produção e composição físico-química das bagas.

A poda do tipo Royat induziu maior vigor vegetativo e aumentou a fertilidade das gemas, o número de cachos e a produtividade da videira Chardonnay quando comparada à poda Guyot.

Apesar do aumento de produtividade, não houve efeito do tipo de poda na qualidade final da uva.

Portanto, a escolha do sistema de poda em função das características genéticas da cultivar e sua interação com o ambiente pode proporcionar maior rentabilidade ao vinhedo.

Para o cultivo da Chardonnay no Sudeste Brasileiro, com a finalidade de se obterem vinhos espumantes, o sistema Royat é o mais indicado.

Documentos Relacionados