Faça uma monografia perfeita!

Faça parte da nossa lista exclusiva de acadêmicos e receba atualizações, artigos e dicas imperdíveis para seu TCC.

El trabajador social como educador: formación profesional y educación

Autor Principal: Manuel Alberto Argumedo
Tipo: Teses/dissertações
Idioma: Espanhol
Publicado em: 2001
Assuntos:
Link Texto Completo: http://www.sapientia.pucsp.br//tde_busca/arquivo.php?codArquivo=6251
Saved in:
Neste trabalho analisam-se as relações entre Serviço Social e Educação, partindo de considerar que, em algumas situações de intervenção, as ações educativas constituem-se em um recurso para o assistente social.

Nossa pergunta é, neste caso, em que medida as Instituições de Formação preocupam-se para que os seus alunos considerem esta opção e disponham dos elementos necessários para desenhar, executar e avaliar uma ação educativa.

Interessa-nos também, caso isso aconteça, qual é a concepção de educação desses futuros trabalhadores sociais.

Com esta finalidade, procura-se construir uma definição de educação, como ação intencional que promove em outros certos e determinados aprendizagens.

Analisam-se diferentes "intenções" das quais derivam outros tantos "modos" de educar e se propõe uma forma de analisar as ações educativas, que permitiria evidenciar os princípios ou critérios que as orientam.

Para concluir esta parte do trabalho, expõem-se a concepção de educação a partir da qual realiza-se a análise e enunciam-se os princípios que a fundamentam.

Para completar este "referencial" teórico-operativo do trabalho, analisa-se brevemente a profissão do assistente social no nosso mundo.

Antes de apresentar o trabalho de campo, reflete-se acerca de um conceito metodológico chave na pesquisa: as representações sociais.

Neste contexto, e atendendo ao objetivo do trabalho, opta-se pelo término "crença", no sentido de um conjunto de "convicções" que constitui a concepção de ação educativa a partir da qual trabalha o educador.

Finalmente, apresentam-se algumas indagações realizadas a nível das instituições formadoras e dos sujeitos que têm optado pela profissão do serviço social.

No primeiro caso, analisam-se os documentos curriculares de três instituições com diferentes marcos de referência e entrevistas realizadas a diretivos e docentes do curso de graduação; no segundo, analisam-se entrevistas a ingressos, diplomados recentes e graduados em Serviço ou Trabalho Social em atividade e os resultados de uma prova de resolução de casos aplicada a alunos que cursam os últimos anos do curso de graduação.

Estes analises permitem formular algumas conclusões acerca do "modo" de educar mais comum entre os assistentes sociais e fazer algumas recomendações acerca da formação profissional