Analgesia pós-operatória da artroplastia do quadril: comparação do bloqueio de plexo lombar contínuo com a analgesia peridural

Autor Principal: Costa, Gabriela Maria Pereira da Silva eCarvalho, Inês MartinsCastro, Ana Isabel RodriguesLages, Neusa Cristina RibeiroCorreia, Carlos Manuel Machado
Tipo:
Idioma: enpt
Publicado em: Rev. dorRevista Dor
Assuntos:
Link Texto Completo: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&lang=pt&pid=S1806-00132016000100002
Saved in:
RESUMO JUSTIFICATICA E OBJETIVOS: A dor pós-operatória da artroplastia total do quadril tem intensidade moderada a intensa, exigindo a realização de técnicas analgésicas eficazes.

O objetivo deste estudo foi comparar o bloqueio do plexo lombar contínuo com a analgesia peridural em pacientes submetidos à artroplastia de quadril.

MÉTODOS: Estudo retrospectivo, observacional e analítico dos pacientes submetidos à artroplastia de quadril durante dois anos, sob analgesia pós-operatória por bloqueios do plexo lombar contínuo e peridural.

Os pacientes foram divididos de acordo com a técnica analgésica escolhida pelo anestesiologista.

O protocolo consiste em infusão contínua de ropivacaína a 0,2% (5mL/h) via cateter de bloqueio do plexo lombar contínuo ou em ropivacaína a 0,1% e fentanil 3µg/mL (5mL/h) via cateter peridural.

Recorrendo aos registos da Unidade de Dor Aguda, foram comparados os três dias pós-operatórios dos grupos bloqueio do plexo lombar contínuo e peridural em relação à intensidade da dor, analgesia de resgate, complicações e tempo de internação hospitalar.

RESULTADOS: Foram incluídos 162 pacientes.

A maioria de ambos os grupos não apresentou queixas de dor no primeiro dia pós-operatório (77,6% bloqueio do plexo lombar contínuo versus 79,2% peridural).

Ambos os grupos não diferiram em relação à intensidade de dor nem à incidência de necessidade de analgesia de resgate (23,5% bloqueio do plexo lombar contínuo versus 22,1% peridural).

O grupo bloqueio do plexo lombar contínuo registrou menos complicações (4,7% versus 23,4%), nomeadamente bloqueio motor, náuseas, vômitos e prurido.

A rara ocorrência de complicações não permite detectar diferenças significativas entre as técnicas.

A maioria dos pacientes de ambos os grupos obteve alta hospitalar no 3º dia pós-operatório.

CONCLUSÃO: Em relação à analgesia peridural, o bloqueio do plexo lombar contínuo proporcionou analgesia semelhante com menos complicações.