Alterações cognitivas na depressão

Autor Principal: Dirceu Zorzetto Filho
Tipo: Teses/dissertações
Idioma: Português
Publicado em: 1999
Assuntos:
Link Texto Completo: http://libdigi.unicamp.br/document/?code=vtls000189651
Saved in:
Este estudo é uma revisão crítica da literatura sobre o comprometimento cognitivo encontrado nos quadros depressivos primários, não-bipolares.

O objetivo foi a análise da natureza e do padrão desse comprometimento, o estabelecimento de associações entre as variáveis clínicas e o desempenho neuropsicológico, e a determinação das correlações entre os déficits cognitivos na depressão e seus substratos neurais subjacentes.

Inicialmente, foram revistos os conceitos de depressão, suas características clínicas, as classificações atuais, o diagnóstico diferencial, a epidemiologia, as principais hipóteses etiológicas e a evolução.

Discutiu-se a conceituação e as características das principais funções cognitivas, seguindo a abordagem neuropsicológica sugerida por Muriel Lezak, e descreveu-se os propósitos e os métodos da avaliação neuropsicológica das funções cognitivas.

Organizou-se um painel das principais contribuições da neuropsicologia na área de saúde mental e descreveu-se a evolução histórica do conceito de déficit cognitivo relacionado à depressão, bem como as contribuições de diversos autores.

Tanto o aspecto conceitual como a utilidade clínica da avaliação neuropsicológica foram abordados.

A revisão da literatura foi realizada por meio da consulta a três bancos de dados: Medline, Psychlnfo e llLACS.

Além disso, procedeu-se a uma extensiva busca manual a partir das referências bibliográficas listadas pelos artigos selecionados e capítulos de livros de expre ssão na área de estudo.

Foram incluídos nesta revisão os artigos que preencheram os seguintes critérios: publicados nos últimos dez anos, estudos clínicos com grupo controle, incluírem pacientes com diagnóstico de depressão primária, não bipolar (depressão maior pelos critérios do DSM-IV; episódio depressivo e transtorno depressivo recorrente pelos critérios da CID-lO), e apresentarem significância estatística.

Foram selecionados 71 estudos, publicados entre 1989 e 1999, que satisfizeram esses critérios.

Os resultados obtidos foram organizados de acordo com os principais tópicos relacionados aos Déficits cognitivos na depressão, isto é, sua naturezã, correlação com variáveis clínicas e substratos neurais.

Concluindo, o autor comenta os resultados dos estudos revisados, assinalando quais apresentaram consistência e quais não.

Aponta as principais limitações e falhas metodológicas observadas em alguns estudos, assinala as discordâncias e concordâncias entre os autores, ressalta a importância clínica para o tratamento individualizado e sugere algumas pesquisas futuras no campo dos transtornos cognitivos e da depressão